Revolução na logística: como a inteligência artificial transforma operações

Na era da revolução tecnológica, a inteligência artificial emerge como uma força propulsora, revolucionando não apenas a vida cotidiana, mas também redefinindo a logística em suas várias facetas. Na vanguarda dessa transformação, a Só Galpões explora as maneiras inovadoras pelas quais a inteligência artificial pode aprimorar significativamente as operações logísticas, gerando mudanças radicais e vantagens competitivas para as empresas.

O poder da inteligência artificial no planejamento logístico

O casamento entre inteligência artificial e big data no planejamento logístico confere às organizações uma proatividade sem precedentes. Ao antecipar as intenções dos consumidores e prever a demanda do mercado, as empresas estão implementando estratégias logísticas mais eficazes. A capacidade de adaptar-se antecipadamente, evitando falta ou excesso de estoque, não apenas otimiza os recursos, mas também estabelece um novo padrão de acessibilidade para os gestores de cadeias de suprimento e profissionais da logística.

Aplicações concretas da inteligência artificial na logística

1. Armazéns Automatizados:

Os armazéns, como o coração pulsante da logística, enfrentam desafios consideráveis, mas a inteligência artificial oferece soluções inovadoras. A aplicação de IA em softwares de gestão, aliada à robótica, possibilita a automação de operações como transporte e arranjo de produtos. Os “armazéns inteligentes”, impulsionados pela inteligência artificial, tornam possível visualizar dados de objetos, automatizando eficientemente as atividades diárias do armazém.

2. Automação e Visibilidade da Cadeia de Suprimentos:

Nas cadeias de suprimentos, a IA assume o controle, automatizando processos como acompanhamento de pedidos, atualização de inventários em tempo real e emissão de pedidos de abastecimento. A automação não apenas otimiza a cadeia de suprimentos, mas também aprimora a rastreabilidade das mercadorias, fornecendo uma visão mais clara e precisa.

3. Coordenação do Transporte:

A IA permite a criação e ajuste em tempo real de rotas ideais para entregas, proporcionando uma gestão eficiente dos armazéns. A capacidade de visualizar e direcionar os deslocamentos de mercadorias contribui significativamente para a eficácia logística.

4. Aumento da Produtividade:

Algoritmos e cálculos automáticos, impulsionados pela IA, resultam em soluções inovadoras para aumentar a produtividade no armazém. Para os varejistas online, robôs controlados por IA oferecem comunicação simultânea e praticamente livre de erros, contribuindo para a eficiência operacional.

5. Processamento Contábil:

A IA assume a responsabilidade de funções contábeis em larga escala, processando milhões de faturas de diversos vendedores, parceiros e fornecedores. Tecnologias avançadas, como o processamento de linguagem falada, extraem informações cruciais, simplificando as operações contábeis e proporcionando uma execução eficiente, muitas vezes sem intervenção humana.

Desafios superados: detectando o futuro na logística

A implementação estratégica da inteligência artificial na logística não apenas supera desafios operacionais, mas também detecta fraudes e irregularidades. Sistemas avançados com tecnologias de IA têm a capacidade de identificar faturas fraudulentas, garantindo a integridade financeira das operações.

Na vanguarda desta revolução logística, a Só Galpões está comprometida em explorar continuamente as fronteiras da inteligência artificial para auxiliar nossos clientes a encontrar os melhores espaços logísticos para o seu negócio. Ao abraçar a evolução tecnológica, a Só Galpões busca proporcionar eficiência, agilidade e vantagens competitivas aos seus clientes. A revolução na logística está aqui, e a inteligência artificial é uma alternativa para desbloquear novos horizontes.

Planejamento operacional na logística empresarial: o que é e os benefícios

Em um cenário onde as empresas buscam incessantemente atingir metas e objetivos, o planejamento operacional emerge como a peça-chave que impulsiona a eficácia da logística empresarial. À medida que a demanda por eficiência cresce, a presença de gestores especializados e a elaboração de planos operacionais tornam-se não apenas estratégicas, mas essenciais.

O que é o planejamento operacional?

O planejamento operacional vai além de um simples documento; é um guia abrangente das operações gerenciais da empresa. Desde a intricada logística inbound até a gestão de estoque e a dinâmica logística de saída, cada etapa é meticulosamente delineada. Não se limitando à logística, o planejamento operacional incorpora a definição de ações, objetivos e metas no início de um novo ciclo empresarial.

Ações: Estratégias para concretizar os objetivos.

Objetivos: Selecionados progressivamente rumo às metas.

Metas: Números e resultados transformados em indicadores de desempenho.

Um gestor competente não apenas possui habilidades técnicas, mas também compreende os resultados anteriores da empresa. Essa análise retrospectiva possibilita a criação de estratégias para otimizar resultados e estabelecer metas ambiciosas.

Vantagens Estratégicas do Planejamento Operacional

1. Redução de Custos:

Um planejamento bem estruturado identifica gastos desnecessários e erros na organização, resultando em mudanças estratégicas que culminam em uma substancial redução de custos.

2. Maior Organização Interna:

A organização interna é essencial para o sucesso operacional. Um plano bem elaborado orienta todos os processos gerenciais, desde a entrada de produtos até a entrega ao cliente. Isso não apenas reduz gastos, mas também minimiza acidentes, proporcionando eficiência no sistema de estoque.

3. Agilidade em Procedimentos Burocráticos:

Com um plano sólido, documentos necessários para diversas situações são preparados antecipadamente, reduzindo o tempo gasto com burocracia e aumentando a produtividade interna. Terceirizar a gestão documental pode otimizar ainda mais esse processo.

4. Futuro Tangível em Metas Realistas:

A presença de um profissional qualificado é crucial na criação do planejamento operacional. Estabelecer metas ambiciosas, porém realistas, é essencial para o sucesso a longo prazo. Expectativas contidas resultam em metas alcançáveis e satisfação ao atingi-las.

Continue acompanhando o blog da Só Galpões para mais insights sobre logística, gestão empresarial e para saber mais sobre o mercado de galpões.

Galpões refrigerados: uma necessidade estratégica na cadeia logística

Em um país marcado por dimensões continentais como o Brasil, onde os desafios logísticos são tão vastos quanto a extensão territorial, a preservação de produtos ao longo da cadeia de suprimentos torna-se um desafio imperativo. Nesse cenário, os galpões refrigerados emergem como protagonistas, desempenhando um papel essencial na preservação das características originais dos produtos perecíveis. A eficiência dessas estruturas não apenas impacta diretamente a qualidade dos alimentos, mas também se torna um elemento-chave na busca por uma logística mais sustentável e eficaz.

A falta de infraestrutura adequada contribui para a perda significativa de alimentos perecíveis no Brasil, chegando a cerca de 40% ao longo da cadeia logística. Este é um problema que ressoa não apenas na esfera econômica, mas também no contexto da segurança alimentar e na busca por práticas mais sustentáveis. Portanto, compreender o papel e o funcionamento dos galpões refrigerados é fundamental para superar esse desafio e pavimentar o caminho para uma logística mais eficiente e responsável. Prepare-se para desvendar os segredos por trás do resfriamento logístico e sua influência no cenário brasileiro.

Importância dos galpões refrigerados na logística brasileira

Em um país vasto como o Brasil, com desafios logísticos significativos, a preservação de produtos perecíveis ao longo da cadeia de suprimentos é crucial. Os galpões refrigerados desempenham um papel vital nesse contexto, mitigando as perdas que resultam da falta de infraestrutura adequada.
No cenário brasileiro, onde cerca de 40% dos alimentos perecíveis são perdidos, a implementação eficiente de galpões refrigerados torna-se uma necessidade estratégica para assegurar a qualidade dos produtos.

Preservando integridade e higiene

Os galpões refrigerados são estruturas projetadas especificamente para armazenar produtos sensíveis à temperatura. Compostos por câmaras frias, salas específicas ou até mesmo um galpão inteiro, essas instalações proporcionam um ambiente controlado 24 horas por dia. A manutenção de temperaturas controladas é essencial para preservar a integridade, segurança e higiene dos produtos, contribuindo para um controle mais eficaz da produção e gestão de estoque.

Variações de temperatura em galpões refrigerados

A flexibilidade térmica dos galpões refrigerados é crucial, permitindo a adaptação às diversas necessidades dos produtos armazenados. Essas estruturas operam em três faixas principais de temperatura: climatizado (entre 10ºC e 18ºC), resfriado (entre 0ºC e 10ºC) e congelado (entre 0ºC e -25ºC). Essa variedade possibilita o armazenamento ideal para uma gama diversificada de produtos, desde frutas e vegetais até carnes e alimentos congelados.

Estrutura dos galpões refrigerados

A estrutura de um galpão refrigerado vai além da arquitetura comum. Câmaras frias, antecâmaras, pisos isolados e equipamentos de refrigeração compõem os elementos fundamentais. As câmaras frias, revestidas com painéis isotérmicos, garantem isolamento térmico eficiente. Antecâmaras refrigeradas auxiliam na transição de mercadorias, enquanto pisos isolados impedem danos causados pelo congelamento. Equipamentos como compressores, evaporadores e desumidificadores são essenciais para manter as temperaturas constantes, evidenciando a complexidade e precisão exigidas na construção de galpões refrigerados.

A implementação estratégica de galpões refrigerados não apenas atende às demandas específicas da cadeia logística, mas também se revela como um alicerce fundamental para a sustentabilidade do setor. Ao preservar a integridade dos produtos, reduzir as perdas e garantir um controle preciso das condições de armazenamento, essas estruturas desempenham um papel vital na promoção da eficiência operacional e na busca por uma logística mais sustentável e eficaz.

A Só Galpões é uma empresa especializada na locação e venda de galpões há mais de 40 anos. Por isso, caso necessite de um espaço armazenagem para as suas mercadorias, consulte-nos em www.sogalpoes.com.br.

Elevando a experiência do colaborador: 5 estratégias transformadoras

A experiência do colaborador emerge como um elemento crítico para o sucesso empresarial. Empresas que priorizam e aprimoram essa experiência colhem frutos tangíveis, desde uma força de trabalho mais engajada até resultados organizacionais aprimorados. Em um mundo cada vez mais competitivo, é crucial para as organizações transcenderem as abordagens tradicionais de gestão de recursos humanos e adotarem práticas inovadoras. Neste artigo, exploramos cinco estratégias para melhorar a experiência do colaborador e impulsionar o sucesso organizacional.

Compreendendo a experiência do colaborador

A experiência do colaborador, também conhecida como Employee Experience (EX), transcende a mera administração de recursos humanos. É uma abordagem estratégica que visa entender todas as interações de um funcionário ao longo de sua jornada na empresa.
Semelhante à Gestão da Experiência Humana (HXM), o EX busca mapear e aprimorar cada ponto de contato, desde o recrutamento até a saída do colaborador.

Índice de experiência do colaborador: uma métrica poderosa

O Employee Experience Index não é meramente uma métrica; é um guia abrangente para aprimorar a jornada do colaborador. Ao analisar dimensões como Pertencimento, Propósito, Realização, Felicidade e Vigor, as organizações não apenas obtêm insights valiosos sobre a percepção de seus funcionários, mas também identificam áreas de destaque e oportunidades de crescimento.
Este índice, quando compreendido e aplicado, conduz a uma cultura organizacional que valoriza o bem-estar e a prosperidade mútua.

RH 4.0: uma transformação profunda na cultura organizacional

A transição para o RH 4.0 não é uma mera evolução; é uma revolução cultural que redefine a gestão de pessoas. Reconhecer que funcionários engajados são a espinha dorsal do sucesso organizacional implica em transformar práticas de gestão.
Incentivar o reconhecimento contínuo, feedback construtivo e oportunidades claras de crescimento não apenas cria um ambiente positivo, mas também se traduz em ganhos tangíveis, solidificando o RH como um componente estratégico para o sucesso a longo prazo.

Comunicação transparente

A comunicação transparente é a força motriz por trás de uma experiência do colaborador positiva. Ir além das tradicionais pesquisas anuais de engajamento e criar um ambiente onde as vozes dos funcionários são ouvidas regularmente é essencial. Essa abordagem não apenas fornece informações sobre os objetivos da empresa, mas também estabelece uma conexão mais profunda.
Construir confiança e um senso compartilhado de propósito são elementos cruciais para uma cultura organizacional vibrante e colaborativa.

Capacitação Contínua

A capacitação contínua é mais do que meros treinamentos; é a adoção do conceito de “lifelong learning”. Investir no desenvolvimento profissional dos colaboradores não apenas os mantém relevantes em termos de habilidades técnicas, mas também promove uma cultura de inovação e adaptação contínua. Essa prática não é apenas um investimento no indivíduo, mas uma estratégia organizacional para enfrentar os desafios em constante evolução do cenário empresarial.Alcançando a Excelência Organizacional

A jornada para aprimorar a experiência do colaborador é uma busca incessante pela excelência organizacional. Desde a análise detalhada do índice de experiência até a promoção de uma comunicação aberta e o investimento constante no desenvolvimento, as organizações estão forjando um ambiente onde os colaboradores não apenas prosperam, mas também contribuem de maneira significativa para o sucesso coletivo.
A experiência do colaborador não é apenas uma métrica; é a essência de uma cultura organizacional robusta, inovadora e verdadeiramente centrada nas pessoas.

Extrema, Minas Gerais: o destaque do boom logístico no Brasil

Nos últimos anos, o setor logístico brasileiro experimentou um crescimento exponencial, marcado por números expressivos de expansão. De acordo com dados da Buildings, entre o 1T de 2020 e o 3T de 2023, mais de 8 milhões de m² de novos galpões foram adicionados ao mercado, totalizando atualmente mais de 33 milhões de m² de estoque total em condomínios logísticos no país.

Minas Gerais e a Cidade de Extrema em Foco:

Embora o estado de São Paulo permaneça como epicentro da demanda logística no Brasil, Minas Gerais, e em especial a cidade de Extrema, ganharam destaque no cenário nacional.

O estado mineiro abriga 67 condomínios logísticos prontos para ocupação, somando impressionantes 2,9 milhões de m² de estoque total. Mais de 768 mil m² de atividade construtiva sinalizam um contínuo investimento e crescimento no setor.

Extrema: O Epicentro Logístico Mineiro:

A cidade de Extrema se destaca com 11 condomínios logísticos prontos para ocupação, acumulando cerca de 947 mil m² de estoque total. Nos últimos três anos, Extrema viu seu estoque saltar de 324 mil m² para mais de 947 mil m², representando um aumento significativo.

Atualmente, a cidade detém mais de 340 mil m² de atividade construtiva no 3T de 2023, demonstrando um compromisso contínuo com o desenvolvimento logístico. Com uma taxa de vacância zerada no 3T de 2023, a cidade se torna ainda mais competitiva, impulsionando a busca por espaços logísticos.

Esses dados reforçam o papel vital de Minas Gerais, e em particular de Extrema, no cenário logístico brasileiro, consolidando a região como um ponto estratégico para empresas que buscam expansão e eficiência em suas operações. 

Fundada em Minas Gerais há mais de 40 anos, a Só Galpões tem larga experiência na locação e venda de galpões, com uma equipe de especialistas para auxiliar a sua empresa a encontrar o espaço ideal para os seus negócios. Conheça mais em www.sogalpoes.com.br 

Tendências positivas no mercado de galpões: valorização e baixa vacância

O mercado de galpões de alto padrão teve um desempenho robusto em 2023, registrando uma significativa valorização nos preços médios de aluguel, de acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria imobiliária Colliers. A boa notícia para o setor é que essas tendências positivas devem se manter ao longo deste ano.

O levantamento revelou um aumento de 8% nos preços médios de locação de condomínios logísticos em todo o Brasil. Os valores por metro quadrado subiram de R$ 23 em 2022 para R$ 24,9 no final de 2023. Na capital paulista, o preço atingiu R$ 37,2 por metro quadrado, seguido por Guarulhos e Grande ABC, com valores de R$ 32,6 e R$ 28,2, respectivamente.

Paula Casarini, CEO da Colliers no Brasil, destaca o aumento de preços em várias regiões logísticas do estado de São Paulo. Ela aponta que esse movimento é natural devido à baixa oferta de empreendimentos e aos altos custos de construção. A expectativa é que os valores continuem em alta nos próximos meses.

Apesar das dificuldades de oferta, 2023 viu a entrega de cerca de 470 mil metros quadrados de novos empreendimentos logísticos em São Paulo. O inventário paulista encerrou o ano em 14 milhões de metros quadrados, representando um crescimento de 10% em relação a 2022.

A vacância, mesmo com a chegada de novos galpões ao longo do ano, manteve-se baixa no estado. A taxa de vacância recuou 1 ponto percentual em comparação a 2022, encerrando 2023 em 11%. Esse declínio é atribuído ao volume recorde de locações registradas, com uma absorção bruta de 2,23 milhões de metros quadrados, um aumento de 30% em relação ao ano anterior. A absorção líquida, que considera o saldo entre novas locações e devoluções, também alcançou um novo patamar, atingindo 1,34 milhões de metros quadrados, um aumento de 33% em relação a 2022.

Paula Casarini enfatiza que o mercado de condomínios logísticos em São Paulo apresentou números expressivos, com recorde de locações, aumento no preço médio e vacância controlada. A atividade construtiva para o ano seguinte é esperada para ser positiva, principalmente nas regiões próximas à capital paulista.

Perspectivas para o Mercado Logístico em 2024

O mercado logístico brasileiro como um todo deve se beneficiar da perspectiva de queda na taxa básica de juros, a Selic, e do controle da inflação em 2024. Esses fatores devem aumentar o fluxo de capital para a renda variável e fundos imobiliários, impulsionando novas emissões e aquisições de ativos no mercado de galpões.

A redução gradual do desemprego também é destacada como um elemento positivo. Isso contribui para a melhoria do consumo das famílias e, consequentemente, impulsiona a atividade logística. A combinação desses fatores deve manter a atividade construtiva aquecida ao longo do ano.

Minas Gerais como Destaque em Vacância

Além de São Paulo, o mercado de galpões em Minas Gerais emerge como o terceiro maior do país, ficando atrás apenas de São Paulo e Rio de Janeiro. Em 2023, sete novos empreendimentos de alto padrão foram entregues, adicionando cerca de 275 mil metros quadrados ao inventário existente no estado.

A taxa de vacância em Minas Gerais está próxima de 5%, uma das menores do país. Para este ano, espera-se que o inventário atinja cerca de três milhões de metros quadrados. Esses indicadores positivos apontam para um cenário favorável no mercado logístico mineiro, contribuindo para o panorama otimista do setor em nível nacional.

Fundada em Belo Horizonte-MG, Só Galpões tem mais de 40 anos de experiência na locação e venda de galpões, com uma equipe de especialistas para auxiliar a sua empresa a encontrar o espaço ideal para os seus negócios. Conheça mais em www.sogalpoes.com.br

 Explorando o mundo da logística internacional: oportunidades, desafios e estratégias

No contexto global, com a revolução digital e a crescente consciência ambiental, a logística internacional se ergue como o epicentro estratégico que impulsiona a engrenagem do comércio mundial. Mais do que uma mera área de atuação, a logística internacional representa um tecido vital que conecta continentes, empresas e culturas, desempenhando um papel fundamental na eficiência econômica global. Este artigo mergulha nas complexidades e oportunidades inerentes à logística internacional, explorando os salários competitivos e o desenvolvimento profissional contínuo que oferece, bem como os desafios cruciais que exigem uma habilidade especializada. Além disso, delinearemos estratégias fundamentais para que os profissionais não apenas sobrevivam, mas prosperem neste emocionante cenário profissional.

A logística internacional, como área, transcende a administração da cadeia de suprimentos; é o bastião que facilita a circulação ininterrupta de bens e serviços através das fronteiras, fundindo eficiência operacional com a complexidade da globalização. Hoje, as barreiras geográficas se dissolvem e a conectividade é a norma, os profissionais de logística internacional se encontram na vanguarda, enfrentando desafios que vão desde a demanda por habilidades especializadas até a necessidade de competir em um cenário global. No entanto, esta profissão não apenas apresenta desafios; oferece uma série de oportunidades que vão além dos salários competitivos, convidando indivíduos a participarem de um desenvolvimento profissional contínuo e a desdobrarem suas habilidades em um ambiente de trabalho verdadeiramente global.

Oportunidades na logística internacional: Além dos salários competitivos

A logística internacional oferece emprego, e um mundo de carreira com remunerações substanciais e benefícios atraentes. Um gerente de logística nos Estados Unidos, por exemplo, desfruta de um salário médio de 120.000 dólares anuais, sublinhando a importância estratégica desta profissão. Este nível de compensação reflete a complexidade das responsabilidades, e funciona como um ímã para atrair e reter profissionais altamente qualificados, criando um ambiente propício para o desenvolvimento e a prosperidade a longo prazo.

A capacidade de se adaptar a novas tendências, tecnologias e regulamentos é vantajosa e notavelmente essencial para aqueles que buscam acompanhar as demandas do mercado e, ao mesmo tempo, liderar a vanguarda da inovação em logística internacional.

Trabalho global: a natureza global da logística internacional amplia o horizonte de oportunidades, permitindo aos profissionais trabalhar em diversos países e mergulhar em uma infinidade de culturas. Esta abordagem global enriquece a experiência profissional e proporciona uma compreensão mais profunda dos desafios e oportunidades inerentes ao comércio internacional. A habilidade de colaborar efetivamente em ambientes multiculturais torna-se um ativo inestimável neste cenário profissional, oferecendo perspectivas únicas e habilidades de adaptação cruciais.

Desafios na Logística Internacional

Essa área A loexige habilidades especializadas que vão além da gestão logística básica. A capacidade de gerenciar projetos complexos, planejamento logístico e resolução de problemas em um ambiente internacional são requisitos fundamentais. A formação contínua e o desenvolvimento de competências especializadas são essenciais para enfrentar esses desafios de forma eficaz, destacando a necessidade de uma abordagem educacional proativa.

Atualmente, a competição na logística internacional transcende as fronteiras nacionais. Os profissionais devem estar preparados para competir com seus pares de todo o mundo, destacando a importância de se manter atualizado com as tendências globais e de desenvolver habilidades que transcendam as barreiras geográficas e culturais. A capacidade de compreender e se adaptar a diversos contextos comerciais é essencial para se destacar neste campo altamente competitivo.

Recomendações para Profissionais de Logística Internacional

– Obter uma Formação Especializada: dada a complexidade única da logística internacional, é essencial buscar programas de formação especializados. Estes programas prepararão os profissionais com conhecimentos específicos sobre acordos comerciais internacionais, regulamentos aduaneiros e normas de transporte.

  • Realizar Estágios ou Trainees: a experiência prática é inestimável na logística internacional. Estágios ou trainees oferecem a oportunidade de aplicar teorias aprendidas em ambientes reais, desenvolvendo habilidades práticas e estabelecendo conexões valiosas na indústria.
  • Participar em Eventos da Indústria: os eventos da indústria são plataformas cruciais para se manter atualizado sobre as últimas tendências e estabelecer contatos com profissionais do campo. Participar de conferências, feiras e seminários oferece uma perspectiva inestimável e ajuda a construir uma rede sólida na logística internacional.

    A logística internacional representa uma profissão do futuro e uma oportunidade para fazer a diferença no mundo. Aqueles profissionais que estão preparados para enfrentar os desafios e capitalizar as oportunidades que a logística internacional oferece se projetam para um futuro promissor e cheio de possibilidades nesta disciplina dinâmica e essencial.

A Só Galpões é uma imobiliária especializada na locação e venda de galpões, com mais de 40 anos de expertise em encontrar os melhores espaços para empresas nacionais e multinacionais. Conheça mais em www.sogalpoes.com.br

Desbravando o “Last Mile”: definições, tendências e novos caminhos

Ao adentrar o universo do comércio exterior, nos deparamos com a expressão “last mile” e compreendemos a importância vital dessa etapa na cadeia de suprimentos. Vivendo o auge das compras online por meio de marketplaces e e-commerce, o “last mile” destaca-se como um elemento crucial para garantir não apenas a entrega de qualidade, mas também uma experiência satisfatória para o consumidor.

Explorando as Três Fases da Logística

A jornada logística se divide em três fases, cada uma marcando uma etapa fundamental do processo. O “First Mile” inaugura o trajeto, englobando o transporte da mercadoria do ponto de origem até o centro de coleta ou distribuição. Em seguida, temos o “Middle Mile”, responsável pelo transporte entre armazéns, centros de distribuição e pontos de venda. Por fim, o tão discutido “Last Mile” representa a fase derradeira, onde o produto parte do centro de distribuição para as mãos do cliente.

Decifrando o Tempo no “Last Mile”

Determinar a duração exata do “last mile” é uma tarefa desafiadora, uma vez que depende do destino da entrega, que pode variar de 1 km a cruzar fronteiras. A designação de “last mile” persiste enquanto a entrega estiver direcionada ao destino final do cliente. É importante salientar que essa etapa entra em ação somente após a conclusão de duas fases igualmente cruciais.

  • First Mile: como o ponto de partida da fase logística, esta etapa abrange o transporte da mercadoria desde o ponto de origem até o centro de coleta ou distribuição. Tarefas como gestão de pedidos, embalagens e carregamentos são realizadas aqui, muitas vezes de forma manual. A integração da tecnologia à logística surge como uma solução para aprimorar processos, evitando falhas de comunicação e atrasos.
  • Middle Mile: esta fase descreve o transporte entre armazéns, centros de distribuição e pontos de venda. Essencial para empresas com uma ampla base de clientes ou varejistas robustos, o “Middle Mile” otimiza a comunicação entre o “First” e o “Last Mile”. O sistema de logística 4.0 desempenha um papel crucial, melhorando a comunicação e garantindo o alinhamento entre os setores.
  • Last Mile: a reta final, onde o produto é entregue ao cliente, representa a última etapa do transporte. A eficiência global do processo determina o sucesso dessa operação. Vale destacar que 53% de todos os custos de transporte estão relacionados ao “Last Mile”, conforme dados da Mordor Intelligence.


Cenário do “Last Mile” no Brasil

A satisfação do cliente com uma marca está intrinsecamente ligada à experiência durante o “Last Mile”. Pesquisas indicam que 90% dos consumidores brasileiros não retornam após uma experiência negativa nessa etapa. Isso reflete uma competição acirrada no varejo, onde a capacidade de oferecer condições de entrega favoráveis se torna um diferencial crucial.

O “Last Mile” não é apenas a conclusão logística, mas também um momento-chave para construir relacionamentos e fidelizar clientes. Com custos representando de 30% a 50% dos gastos totais de envio, investir em melhorias nessa fase é vital, especialmente considerando o crescimento exponencial do e-commerce no Brasil.

Impacto do “Last Mile” na Operação Logística

Entre os impactos mais significativos, destacam-se:

  • Redução de Custos: investir em sistemas de roteirização é uma estratégia para reduzir custos logísticos, criando rotas eficientes, economizando combustível e otimizando caminhos.
  • Eficiência Operacional: o “Last Mile” impacta diretamente nos custos operacionais e nos indicadores logísticos, sendo vital para o sucesso global da operação.
  • Satisfação do Cliente: om altas expectativas dos consumidores, garantir eficiência no “Last Mile” torna-se essencial para a satisfação e fidelização do cliente.

Desafios do “Last Mile” e Estratégias de Otimização

  • Despesas Elevadas: o “Last Mile” pode se tornar custoso, especialmente devido à falta de planejamento logístico, trânsito intenso e problemas na comunicação.
  • Qualidade do Serviço de Transporte: a entrega bem-sucedida depende da qualidade do serviço de transporte, exigindo investimentos e confiança nas empresas parceiras.
  • Imprevistos: problemas como tráfego intenso, obras, acidentes e condições climáticas imprevisíveis podem impactar a logística.
  • Processos Manuais: sistemas defasados ou pouco integrados podem comprometer a gestão das entregas, resultando em erros e atrasos.
  • Alta Expectativa do Cliente: as crescentes expectativas dos consumidores demandam eficiência, exigindo investimentos em tecnologias dedicadas ao “Last Mile”.

Otimizando o “Last Mile”: Estratégias Eficientes

  • Diversificação nas Opções de Entrega: amplie as opções de entrega para proporcionar uma experiência flexível ao cliente. Mantenha uma frota diversificada para adaptar-se às diferentes demandas.
  • Múltiplos Fornecedores e Centros de Distribuição: evite depender apenas de um fornecedor ou transportadora. Múltiplas opções proporcionam flexibilidade, melhores preços e redução de riscos.
  • Agendamento de Entregas: agendar as entregas de acordo com as preferências dos clientes ajuda a otimizar a rotina logística, proporcionando segurança e comodidade.
  • Uso da Tecnologia para Monitoramento: invista em tecnologias para monitorar as entregas, oferecendo transparência e interatividade. Auditorias de fretes, cotações online e relatórios de desempenho são essenciais.

Tendências Futuras no “Last Mile”

Com o aumento das compras online, estima-se que até 2030 as entregas de “last mile” cresçam em 78% nas grandes cidades do mundo. As empresas estão explorando inovações, como “crowdshipping”, drones, inteligência artificial, Internet das Coisas, robôs e smart lockers para superar os desafios e garantir eficiência no “Last Mile”.

Em um mundo onde a conectividade e as expectativas dos consumidores estão em constante ascensão, otimizar o “Last Mile” não é apenas uma necessidade, mas uma oportunidade para se destacar em um mercado cada vez mais competitivo. Invista em estratégias eficientes, abrace a tecnologia e esteja preparado para desbravar o desafio e colher os frutos dessa jornada logística. Afinal, no “Last Mile”, cada passo conta.

Aqui no Blog da Só Galpões trazemos semanalmente artigos sobre logística, gestão empresarial e mercado imobiliário de galpões. Acompanhe-nos para saber mais.

Redespacho: uma abordagem eficiente na logística

Na logística, o redespacho emerge como uma estratégia crucial para otimizar o transporte de mercadorias. Mas, afinal, o que é redespacho e quais são as vantagens que ele oferece? 

Hoje, vamos abordar esse conceito e desvendar as razões pelas quais essa prática se tornou um elemento fundamental na gestão da cadeia de suprimentos, confira:

O que é redespacho?

O redespacho refere-se à prática de transferir uma carga de um veículo de transporte para outro, geralmente em pontos intermediários da rota de entrega. Esse processo pode envolver a mudança de um veículo maior para um menor, a consolidação de várias cargas para otimizar o espaço ou a transferência para um modal mais eficiente em termos de custo ou tempo.

Vantagens do redespacho

Eficiência na rota

Ao permitir a redistribuição de cargas em pontos estratégicos, o redespacho aumenta a eficiência da rota, reduzindo tempos de viagem e custos associados.

Otimização de veículos

A capacidade de transferir cargas para veículos mais adequados ao longo da rota garante uma utilização mais eficiente da frota, reduzindo vazios e maximizando a capacidade de carga.

Redução de custos

A otimização da rota e a utilização eficiente dos veículos resultam em uma significativa redução nos custos operacionais, desde combustível até a manutenção da frota.

Flexibilidade na cadeia de suprimentos

O redespacho confere maior flexibilidade à cadeia de suprimentos, adaptando-se a mudanças na demanda, imprevistos logísticos ou ajustes necessários durante o transporte.

Minimização de emissões

A consolidação de cargas e a escolha de modais mais eficientes contribuem para a redução das emissões de carbono, alinhando-se a iniciativas de sustentabilidade.

Aumento da competitividade

A eficiência operacional proporcionada pelo redespacho não apenas reduz custos, mas também melhora a capacidade de atendimento, tornando as empresas mais competitivas no mercado.

O redespacho surge como uma estratégia inteligente na gestão logística, trazendo consigo uma série de vantagens operacionais e econômicas. Ao abraçar essa prática, as empresas não apenas otimizam suas operações, mas também promovem uma logística mais sustentável e resiliente. 

No nosso blog, você encontra diversas outras tendências inovadoras na logística moderna, fornecendo insights valiosos para aprimorar sua cadeia de suprimentos.

IA na logística: confira as principais contribuições

Cada vez mais, o setor de logística testemunhará uma integração cada vez mais profunda da Inteligência Artificial (IA) em suas operações, impulsionando a eficiência e a capacidade de resposta em toda a cadeia de suprimentos global. 

A IA, alimentada por algoritmos avançados e machine learning, será um catalisador crucial para enfrentar desafios complexos e otimizar processos e hoje você irá conferir as principais contribuições que essa inovação traz para o setor logístico, confira:

Previsão de demanda aprimorada

Algoritmos preditivos alimentados por IA oferecerão uma previsão de demanda mais precisa, permitindo uma gestão mais eficiente do inventário e evitando gargalos ou excessos que possam impactar negativamente a cadeia de suprimentos.

Roteamento dinâmico e otimização de rotas

Sistemas baseados em IA serão capazes de analisar em tempo real variáveis como tráfego, condições climáticas e eventos inesperados, ajustando rotas automaticamente para garantir entregas mais rápidas e eficientes.

Manutenção preditiva

Sensores integrados aos veículos e ativos logísticos, conectados a sistemas de IA, possibilitam a manutenção preditiva. Isso significa que os operadores podem antecipar problemas mecânicos, reduzindo significativamente o tempo de inatividade e custos associados.

Otimização de armazéns e centros de distribuição

IA será fundamental na otimização do layout de armazéns, alocação de estoque e até mesmo na automação de processos de picking e packing, resultando em operações mais eficientes e econômicas.

Tomada de decisões estratégicas

Sistemas de IA avançados fornecerão insights valiosos para a tomada de decisões estratégicas, analisando dados complexos e identificando padrões que podem informar ações proativas, desde escolhas de fornecedores até a expansão para novos mercados.

Sustentabilidade e rastreabilidade

Na busca por práticas mais sustentáveis, a IA será utilizada para otimizar rotas com menor impacto ambiental, reduzir desperdícios na cadeia de suprimentos e proporcionar maior rastreabilidade, atendendo às crescentes demandas por transparência e responsabilidade ambiental.

A presença da IA na logística não apenas automatiza tarefas, mas também desencadeia uma mudança fundamental na forma como o setor opera. O uso estratégico da IA permitirá uma logística mais inteligente, responsiva e eficiente, preparando o terreno para uma era de transporte global mais conectado e otimizado. 

Você pode explorar essas e outras mudanças aqui no nosso blog todo mês. Estamos sempre trazendo análises sobre as tendências mais recentes e inovações, desvendando o que está acontecendo nos bastidores da logística e do mercado de galpões.