(31) 3227-4000 / (31) 97150-2100
SOGALPÕES, a imobiliária do seu galpão,

desde 1980
PROPRIETÁRIOS, NÃO DEIXEM SEUS GALPÕES SEREM ADMINISTRADOS OU VENDIDOS POR IMOBILIÁRIAS COMUNS. A SOGALPÕES, ÚNICA IMOBILIÁRIA ESPECIALIZADA NO RAMO ADMINISTRA, ALUGA E VENDE O SEU GALPÃO COM TRATAMENTO DIFERENCIADO, ANGARIANDO CLIENTES ESPECIAIS PARA IMÓVEIS ESPECIAIS.
NOTÍCIAS
Galpões Logísticos: quais são as tendências n
VOLTAR

O cenário para empresas que usam galpões logísticos no Brasil é cada vez melhor. Com o aumento do uso desses locais, seus proprietários passaram a melhorar as ofertas, apresentando opções mais desenvolvidas, com mais benefícios para o mercado.

O uso de galpões tem se popularizado nos últimos anos, principalmente com o aumento do comércio eletrônico, setor que teve crescimento nominal de 7,4% em 2016 e previsão de mais 12% em 2017, de acordo com o relatório Webshoppers da Ebit.

Atualmente, o Brasil conta com mais de 12 milhões de m² de construções em galpões logísticos, sendo que 60% desses locais ficam em São Paulo. No terceiro trimestre do ano passado, a absorção do setor, ou seja, o uso das construções disponíveis, aumentou 24%, mostrando o avanço desse mercado.

Nesse cenário, as construtoras e empresas responsáveis por esses locais e condomínios logísticos precisaram melhorar as opções oferecidas, seguindo tendências de estrutura, sistemas de proteção, sustentabilidade e outras mudanças que oferecem galpões cada vez mais interessantes para seus clientes.

Pensando nisso, colocamos abaixo as principais tendências para galpões logísticos no cenário brasileiro para você não perder novidades e oportunidades para o seu negócio. Confira!

 

Estrutura e cobertura

Começando com as mudanças em estrutura, os modelos mais tradicionais de galpões logísticos foram construídos de forma pré-moldada em concreto. Essa forma de edificação foi criada como forma de redução de custos, desperdícios e tempo de obra.

Nos últimos anos, percebemos que as estruturas passaram a ser construídas com modelos mistos, ou seja, a cobertura do galpão não é mais feita com concreto e sim com materiais metálicos e telhas metálicas.

Esse padrão de construção é usado nos galpões classe A, considerados melhores e mais sofisticados que os anteriores. Esse modelo é mais interessante por ser mais econômico e tecnicamente superior e também por oferecer menor risco de patologias, protegendo o que for colocado em seu interior.

A fabricação desse novo modelo não necessita emendas e parafusos aparentes, podendo ser fabricado e montado no canteiro da própria obra, o que resulta em ganho de tempo para todo o projeto. Além disso, a nova estrutura necessita menor carga de pilares e fundação, o que agiliza ainda mais a obra.

Ao procurar por uma opção de galpão logístico, se a opção da empresa for construir, é importante se atentar ao tipo de estrutura e cobertura utilizada, buscando os melhores modelos para o negócio. Lembre-se que independente da escolha, tanto modelos pré-moldados quanto mistos, devem seguir as especificações técnicas determinadas pelo CREA (Conselho Regional de Engenharia e Agronomia) e governo local.

 

Fechamento

Outro fator que tem sofrido alterações em galpões logísticos são seus fechamentos laterais. Tradicionalmente, telhas metálicas são mais utilizadas nas estruturas pré-moldadas, porém, sistemas construtivos chamados Tilt-up tem chamado atenção por sua eficiência em outros locais, como nos EUA.

Ainda não muito empregado em território nacional, esse sistema apresenta paredes ou fechamentos com base de concreto, feitas de forma pré-moldada in loco, ou seja, direto no canteiro da obra. O processo prepara a peça para atingir a resistência necessária na criação e depois são alçadas até suas posições, sendo escoradas no galpão.

Apenas algumas construtoras usam esse modelo, apesar dele apresentar benefícios melhores para a estrutura e maior agilidade em obra. Por isso, é importante avaliar no momento de escolha do seu local.

 

Proteção contra incêndio

Uma preocupação constante dos proprietários que usam galpões para manter suas mercadorias e empresas que alugam ou vendem esses locais, é a perda ou danificação do ambiente por meio de incêndios. Casos como o da empresa Vila Velha, que perdeu 80% de um complexo logístico em 2017, fez com que as normas se tornassem mais rigorosas nesse contexto.

As medidas mais usadas são as instalações de compartimentações dentro dos galpões, ou seja, a subdivisão do espaço criando ambientes onde o incêndio pode ser controlado sem danificar todo o espaço. Além disso, são necessários a instalação de sprinklers, que controlam o fogo.

No estado de São Paulo, é obrigatório a compartimentação para galpões modulares maiores que 2.000 m². Enquanto que no Rio de Janeiro há obrigatoriedade do uso de chuveiros automáticos, de acordo com as classificações das edificações. Já em Minas Gerais, a compartimentação varia conforme o tipo de material armazenado e é obrigatório o uso de controladores de fumaça.

Apesar do custo de implementação de sistemas de segurança contra incêndio serem altos, percebe-se que as construtoras e proprietários tem investido para garantir maiores proteções em seus investimentos e também para oferecer mais benefícios para seus clientes, além de atender as normas da legislação.

 

Sustentabilidade

A sustentabilidade é uma tendência comum em diversos mercados e setores, isso inclui a construção de empreendimentos logísticos. Diversas práticas e soluções estão sendo adotadas para atrair clientes e criar essa característica em galpões logísticos, tais como:

Tratamento de água e esgoto;

Uso de luz natural;

Utilização de  ventilação natural;

Uso de área verde no paisagismo e ambiente interno.

Sendo a construção civil responsável pelo consumo de mais de 70% de toda a matéria-prima do planeta, esse segmento tem grande responsabilidade na tarefa de reduzir os impactos ambientais, revertendo degradações. Por isso, muitas construtoras estão usando medidas mais corretas em suas obras, principalmente nas questões de resíduos deixados por elas. Algumas das medidas tomadas, são:

Aquecimento solar;

Reuso de águas pluviais para manutenções de jardins e limpeza das áreas comuns;

Inclusão de painéis de energia solar;

Coleta de lixo seletiva;

Equipamentos de redução de desperdício de água, como torneiras com fechamento automatizado;

Equipamentos para diminuição do consumo elétrico, como lâmpadas de LED;

Materiais sustentáveis e alternativos, como reciclagens;

 

Climatização otimizadas.

A sustentabilidade é uma tendência global que agrega valor para as empresas, por isso, muitas construtoras estão seguindo medidas para alcançar certificações e garantirem seu reconhecimento. Uma dessas certificações é a LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), considerada o título mais importante nas avaliações socioambientais de empreendimentos.

Essas são as tendências mais importantes sobre galpões logísticos. Se você trabalha nessa indústria, seja construindo ou alugando esses locais, é importante conhecê-las para fazer escolhas inteligentes e acompanhar as mudanças do setor.

Além disso, se sua empresa aluga locais ou está pensando em construir galpões logísticos, é importante se atentar às melhores medidas que garantem o atendimento da legislação e projetos mais ágeis e seguros.

27/07/2018